06set

Móveis de cozinha planejados: o que considerar na escolha?

Móveis de cozinha planejados: o que considerar na escolha?

Beleza e conforto são características bastante valorizadas na hora de tornar uma casa aconchegante. No entanto, alguns espaços da residência também pedem praticidade para facilitar a rotina dos moradores. É o caso dos móveis de cozinha planejados, geralmente usadas como local para preparar refeições e reunir famílias.

Por conta de sua versatilidade, esse ambiente deve ser projetado de modo que fique funcional e convidativo. E nada melhor que os móveis de cozinha planejados para atingir esse objetivo.

Para provar que se trata de uma boa escolha, convidamos o designer de interiores Ricardo Lopez a contar sua experiência com esse tipo de solução. Continue a leitura e veja como foi nossa conversa!

Por que investir em móveis de cozinha planejados?

Diferentemente do mobiliário pronto, os modelos planejados têm todas as suas características adequadas ao estilo, tamanho e layout do ambiente. Suas medidas são editáveis, seus acabamentos podem ser definidos conforme o gosto do cliente e seus materiais são de excelente qualidade.

Com um projeto personalizado é possível criar peças adequadas para cada recinto. No caso de uma cozinha, por exemplo, os móveis planejados tornam a disposição do espaço mais funcional para otimizar o dia a dia das pessoas. Eles também permitem decorar a área conforme as preferências dos moradores.

Ricardo afirma que em 13 anos, com mais de 300 projetos desenvolvidos, foram raras as vezes em que não usou esse tipo de solução: “o processo de fabricação e montagem faz toda a diferença em uma cozinha, ela é o lugar onde mais temos a usabilidade, onde abrimos fechamos portas, gavetas, ferragem. O móvel planejado tem uma garantia legal, uma durabilidade boa, o que faz toda a diferença.”

O que considerar na elaboração desse tipo de projeto?

Os móveis de cozinha planejados devem ser pensados em conjunto com um profissional para que, posteriormente, possam ser desenvolvidos por uma empresa especializada. Veja os principais fatores considerados por designers e arquitetos durante esse trabalho.

Desejos e necessidades do cliente

“Quando fazemos um projeto para a cozinha a primeira coisa que devemos fazer é ouvir o cliente, saber detalhes do que ele espera daquele ambiente”, afirma Ricardo. Esse cuidado inicial permitirá adaptar cada elemento do projeto às necessidades existentes.

O profissional até exemplifica, dizendo que pessoas com estatura baixa, por exemplo, não podem ter fornos e micro-ondas posicionados em lugares muito altos, pois isso dificultaria o uso desses equipamentos. Logo, é crucial conversar para entender os pedidos do cliente.

Circulação e distribuição da mobília

Um ambiente planejado deve ser capaz de tirar máximo proveito da área disponível. Por isso, outro aspecto a considerar na elaboração do projeto é a distribuição dos móveis no ambiente.

É comum encontrar cozinhas repletas de armários para guardar louças e utensílios, mas para Ricardo essa não deve ser a única opção. Com planejamento adequado, é possível prever áreas de circulação confortáveis e móveis que não apenas armazenem coisas, mas também deixem o ambiente com uma boa estética.

Tendências de estilo e outros detalhes

O resultado do projeto depende muito do briefing realizado com o cliente, mas um bom profissional sempre pensa com base nas principais tendências do mercado. Esse olhar atento às novidades permite acompanhar o que há de melhor nas lojas para fazer escolhas certeiras.

É importante que o cliente sempre conheça as possibilidades. Com base em tendências recentes, por exemplo, o designer ou arquiteto pode sugerir uma cozinha com estilo industrial europeu. O modelo vem ganhando popularidade e se caracteriza pela combinação de linhas retas e poucos puxadores nos armários.

Independentemente do tema escolhido, é fundamental contar com móveis que carregam diferenciais. Portanto, procure avaliar aspectos como acabamento, tecnologia empregada, qualidade do amortecimento das gavetas, tipo de corrediça e dobradiça, presença (ou não) de acessórios e divisores, entre outros.

Quais cuidados devem ser tomados nesse ambiente?

A escolha dos móveis de cozinha planejados também deve considerar a umidade característica desse espaço da casa — proveniente da água da pia e do vapor gerado em processos de cozimento.

Ricardo afirma que prefere usar modelos sem fundo em áreas molhadas para não maquiar um possível vazamento. Também cita a importância de sempre deixar a pedra da bancada com uma pingadeira passando pelo armário: “se tiver algum vazamento ou alguma coisa, não ficará escorrendo água na madeira”.

Esses cuidados evitarão danos à estrutura e ao acabamento dos móveis. Afinal, por mais resistentes que sejam os materiais empregados na fabricação de algumas peças, podem ter sua vida útil reduzida se tiverem contato frequente com a umidade.

Uma boa alternativa para cobrir fundos de nichos e outros elementos vazados é aplicar revestimentos para cozinha. Existem diversas opções entre pastilhas, cerâmicas e ladrilhos no mercado. A vantagem é que esses produtos não só decoram, como também protegem as paredes do ambiente.

Existem tendências para móveis de cozinha?

O universo da decoração sempre é marcado por novidades que transformam o visual das casas em diferentes períodos. Assim, detalhes como cores, texturas, materiais e outros recursos também definem o tipo de mobiliário que estará em alta a cada ano.

No caso dos móveis planejados para cozinhas, Ricardo aponta a união da serralheria e da marcenaria como uma tendência muito forte para a criação de peças diferenciadas: “entre elas estão as portas de metal e também vidros diferentes, como canelados e aramados.”

Estruturas metálicas e modelos com menos puxadores são boas apostas atualmente, tanto para cozinhas quanto para homes e quartos. Quanto às paletas de cores, cabe destacar que os móveis que apresentam tons mais escuros prometem vir com tudo.

Quais são os diferenciais da Finger?

A qualidade da mobília utilizada no projeto faz toda a diferença no visual da cozinha. Logo, compensa investir em modelos feitos por empresas especializadas nesse tipo de produto. A Finger Móveis Planejados representa uma ótima escolha por ter a inovação e o cuidado com os detalhes como vocação.

Nas palavras de Ricardo, é de suma importância poder contar com uma empresa que sempre busca novidades: “quando a gente vê o mobiliário da Finger, acaba pensando em várias coisas. A primeira delas é que a Finger está sempre antenada com novas tendências de design, cores e texturas”.

O profissional, inclusive, cita alguns produtos da marca e suas características: “eles acabaram de lançar uma textura de madeira que é muito legal, realista. Teve uma época que lançaram um modelo escandinavo, uma madeira mais acinzentada, também fortemente voltada para essa tendência mais nórdica.”

O acabamento de alto brilho da Finger é outro diferencial lembrado. Trata-se de um revestimento laminado brilhante que proporciona ótimo custo-benefício e longa durabilidade. Quanto às ferragens, Ricardo destaca os modelos da Blum (empresa Austríaca) por considerar produtos fantásticos para entregar aos clientes.

Essas foram as orientações básicas para elaborar um projeto com móveis de cozinha planejados. Se você tem interesse em desfrutar de todos os benefícios desses produtos, o próximo passo é procurar uma equipe que possa transformar ideias em espaços mobiliados com muito bom gosto.

Que tal saber mais sobre o trabalho desenvolvido pela Finger Móveis Planejados? Entre em contato conosco para descobrir como obter uma solução completa e de qualidade para seus ambientes.

Powered by Rock Convert
Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.