18mar

5 dicas impecáveis para escolher o revestimento para cozinha

5 dicas impecáveis para escolher o revestimento para cozinha

Dúvidas no momento de escolher revestimento para cozinha são comuns e fazem parte dos desafios de qualquer projeto de reforma. O importante é não deixar que a falta de conhecimento sobre os produtos se torne impeditivo para conquistar o ambiente dos sonhos.

Já faz um bom tempo que a cozinha deixou de ser um espaço dedicado apenas ao preparo das refeições. Hoje, também é ponto de encontro em dias especiais, seja para receber amigos ou curtir a companhia dos familiares.

Para que a experiência no local seja agradável, nada melhor que personalizar a decoração com peças exclusivas e de qualidade. Que tal começar? Acompanhe e descubra como encontrar os melhores produtos para sua cozinha!

1. Conheça as opções de revestimento

O primeiro passo para fazer uma escolha inteligente é conferir as possibilidades. E, quando o assunto é revestimento, há uma infinidade de materiais disponíveis no mercado. As opções englobam desde rochas naturais até peças feitas sob medida, com cortes e bordas perfeitas.

Veja alguns dos produtos que você pode utilizar para incrementar a cozinha:

  • pastilhas de vidro: com acabamento mate ou brilhante, são muito empregadas na composição de detalhes e desenhos sobre paredes;
  • ladrilhos hidráulicos: alternativas aos antigos azulejos, trazem cores alegres e estampas divertidas;
  • pedras: em cortes irregulares (como o canjiquinha) ou na forma de placas padronizadas, são ideais para projetos que exigem um visual diferenciado;
  • cerâmicas e porcelanatos: materiais resistentes e duráveis. Apresentam diversas cores e tamanhos, além de modelos que reproduzem a aparência de outros materiais (pedras, madeira, mármore, tijolinho etc.).

2. Entenda as necessidades do ambiente

Em uma residência, cada cômodo tem uma função específica. A da cozinha é oferecer apoio para o preparo das refeições diárias. Nesse sentido, é importante que o acabamento do ambiente atenda, pelo menos, três requisitos: ser funcional, oferecer conforto e transmitir personalidade.

A funcionalidade tem a ver com uma das necessidades básicas da cozinha: a higiene. Portanto, não adianta escolher um revestimento incrível se ele suja com facilidade ou dificulta o processo de limpeza. Isso vale tanto para pisos quanto paredes, já que ambas superfícies tendem a acumular água, poeira e gordura.

O conforto está relacionado à experiência do usuário com o revestimento. A pessoa precisa se sentir segura ao transitar sobre o produto, evitando quedas e acidentes mais graves. Portanto, no caso do piso, é fundamental priorizar modelos com acabamento rugoso e que ofereçam resistência ao escorregamento.

Por fim, a personalidade é importante para transmitir o gosto estético dos moradores. Assim, vale a pena buscar peças que apresentem cores, estampas ou texturas de sua preferência. Como dito, existem vários modelos capazes de agregar informação de qualidade à composição da cozinha.

3. Defina o estilo que será trabalhado

É preciso considerar que, além de trazer praticidade para o dia a dia, o revestimento também tem função decorativa. Sendo assim, vale refletir sobre o tema que deseja trabalhar em sua cozinha antes de ir às lojas. Há inúmeros estilos para aplicar na montagem desse ambiente:

  • minimalista: revestimentos neutros ou em tons pastel são ideais para manter a simplicidade de um conceito que prioriza o essencial;
  • industrial: para conquistar o efeito rústico dos ambientes industriais, procure escolher revestimento para cozinha com tons sóbrios ou peças que simulam a aparência do concreto;
  • vintage: a estética permite soluções mais ousadas, a exemplo de um piso xadrez feito com placas pretas e brancas que se intercalam.

Mesmo que o objetivo seja criar um visual diferente na cozinha, o ideal é manter a linguagem presente nos outros recintos da casa — principalmente se você quer que áreas distintas permaneçam integradas.

Ainda assim, se você gosta de inovar, nada impede que transforme a cozinha em um ponto focal a partir de contrastes de cores, estampas e materiais. O importante é ter um motivo por trás de cada peça selecionada para evitar arrependimentos no futuro.

4. Saiba como harmonizar pisos e paredes

Considerando que revestimentos são aplicados nas principais superfícies da cozinha (pisos, paredes e mobiliário), é importante ter cuidado com as combinações. O excesso de peças escuras tende a deixar o ambiente pesado, ao passo que a mistura de estampas pode gerar poluição visual.

O segredo para evitar tais problemas está no equilíbrio. Deseja um piso em tom de chumbo com imponentes placas de grandes formatos? Vale amenizar o efeito com paredes claras. Estas podem apresentar tinta nas cores bege, branco, cinza-claro ou detalhes feitos com pastilhas.

A decoração monocromática também costuma funcionar. É a opção ideal para quem quer acertar em cheio e, posteriormente, não se preocupar com a adição de diferentes acessórios. Superfícies brancas ainda são preferência nas cozinhas porque transmitem frescor e sensação de higiene.

A vantagem de compor uma base neutra é que você consegue incluir móveis, eletrodomésticos e utensílios com acabamentos variados sem causar impacto. Outra possibilidade para quebrar a monotonia do estilo é investir em revestimentos tridimensionais, com relevo ou cortes diferenciados.

5. Invista em soluções criativas

Existem várias maneiras de aplicar revestimentos em uma cozinha: cobrir uma superfície inteira, destacar elementos, compor desenhos específicos, e muito mais! A proposta deste tópico é inspirar você e mostrar soluções criativas que podem valorizar o projeto. Confira algumas ideias.

Painéis

Essa é a opção mais simples porque consiste em cobrir uma área específica da cozinha com um revestimento que chame a atenção. Pode ser uma coluna que atravessa o ambiente, uma parede livre ou a base de um balcão de alvenaria.

Eleja um elemento protagonista para criar destaque na composição. Em seguida, basta revesti-lo com peças bonitas: cerâmicas estampadas, pastilhas brilhantes ou placas de porcelanato em um tom vibrante (vermelho, amarelo, laranja).

Mosaicos

Essa solução é parecida com o painel, mas em vez de trazer um único modelo de revestimento, deve combinar peças distintas. O objetivo é compor mosaicos abstratos, padrões geométricos ou desenhos a partir do posicionamento estratégico dos materiais.

Com dimensões reduzidas, as pastilhas são ideais para esse tipo de trabalho por permitirem maior liberdade na criação de figuras. Vale colocá-las em uma região bastante visível, como a área atrás da pia — a prática também cria uma superfície de fácil limpeza.

Faixas

Outra opção para quem quer inovar na aplicação de revestimentos é criar faixas nos pisos e paredes. Elas podem ser dispostas em sentido diagonal, horizontal ou vertical. Assim como no exemplo anterior, ficam melhores com produtos pequenos.

Basta dispor as peças escolhidas lado a lado, de modo que sigam uma linha na direção que você deseja. No piso, a presença de uma faixa mais larga ajuda a delimitar áreas de maneira discreta. Isso acontece por meio da diferenciação de cores, sem a necessidade de criar barreiras físicas.

Perceba que escolher revestimento para cozinha deixa de ser uma tarefa complicada quando você consegue se munir de boas informações. Portanto, procure acompanhar o trabalho de quem entende do assunto sempre que quiser acesso às melhores dicas de composição.

Agora que você já sabe quais materiais utilizar na cozinha, que tal se inspirar na escolha da mobília para esse ambiente? Veja por que móveis planejados são as melhores opções e conheça seus diferenciais em relação aos modelos comuns!

Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.