25abr

Decoração escandinava: da mobília aos adornos, o que fazer?

Decoração escandinava: da mobília aos adornos, o que fazer?

Sabia que um ambiente simples pode ter um clima acolhedor e ser extremamente convidativo? Prova disso está na decoração escandinava, um estilo que tem sua origem nos países nórdicos e que vem chamando a atenção de muitos brasileiros. Com um visual único, o tema se apropria de poucos elementos para manter um aspecto clean e harmonizar os cômodos sem dificuldades.

Tal característica também contribui para a composição de ambientes atemporais, ou seja, que não saem de moda e se mantêm adequados a diferentes épocas. Se você quer saber mais sobre esse estilo e descobrir formas de aplicá-lo em sua casa, basta prosseguir na leitura!

Como surgiu a decoração escandinava?

Tudo começou com os experimentos de um casal de artistas suecos: Carl Larsson e Karin Bergoo. Eles se conheceram em 1882 e passaram a desenvolver trabalhos de pintura e design de interiores. Muitas das criações eram testadas na própria residência da família, o que facilitava a mistura de elementos, a criação de projetos e a decoração do lar de forma única.

Carl e Karin estavam à frente de seu tempo e desenvolveram soluções bastante inovadoras para a época. Foi a vivência e a rotina dos dois que deu origem ao verdadeiro design escandinavo. Com o passar do tempo, a casa dos artistas se transformou em museu e espaço cultural.

Hoje, o tema representa a decoração de vários países da Escandinávia — composta por Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia, Ilhas Faroé e Islândia. É fácil perceber que as principais inspirações desse estilo estão no teatro artesanal, nas paisagens das regiões (muito verde e natureza) e também no clima.

Por enfrentarem invernos rigorosos e prolongados, com dias curtos e muito tempo de escuridão, os moradores dos países nórdicos encontram na decoração escandinava uma saída para amenizar o efeito das baixas temperaturas e da pouca luminosidade.

Com os recursos certos e a escolha cuidadosa de cada elemento, conseguem deixar a casa mais aconchegante, iluminada e visualmente agradável. Isso é possível mesmo em um estilo que se apoia no minimalismo, ou seja, que valoriza o essencial em detrimento dos excessos.

Como aplicar esse estilo em casa?

Como todo estilo decorativo, o tema escandinavo é obtido com a adição de itens específicos. Desde os revestimentos, passando pelos móveis e chegando aos adornos, tudo deve ser pensado de modo a compor um espaço simples e, ao mesmo tempo, cheio de personalidade.

Veja, a seguir, algumas dicas para montar cômodos incríveis e receber amigos com conforto em qualquer estação do ano.

Valorize a luz natural

A claridade é muito importante na decoração escandinava. Por isso, nada melhor que investir em grandes portas e janelas para garantir boa oferta de luz natural ao longo do dia. Vale, inclusive, eliminar qualquer barreira física que possa bloquear a entrada do sol — móveis altos e cortinas grossas, por exemplo.

A iluminação artificial também deve ser pensada de modo que proporcione claridade suficiente no período noturno. Para isso, além de manter lâmpadas de teto em plafons, procure distribuir luminárias em diferentes pontos dos cômodos. Modelos pendentes, de piso e arandelas são mais que bem-vindas.

Priorize as cores neutras

Para refletir a luz e potencializar a sensação de amplitude, o ideal é combinar cores neutras nas principais superfícies. Pisos, paredes e forros costumam ser pintados de branco ou revestidos com materiais em tons clarinhos (cerâmica bege, tábuas de madeira, azulejo creme etc.).

Variações de cinza, preto e tonalidades que lembrem matérias-primas naturais (marrom, avermelhado, ocre) também podem compor a paleta de cores sóbrias. Estampas trabalhadas em preto e branco são as preferidas, principalmente se apresentarem forma de listras, xadrez ou chevron.

Use móveis simples

As linhas puras e retas predominam no mobiliário de uma composição escandinava. A maioria das peças traz cores neutras (cinza, bege, branco) ou acabamento em madeira crua. Ainda assim, nada impede que você tenha um ou outro móvel diferenciado para criar contraste.

Pode ser uma poltrona com as formas arredondadas do design clássico ou uma cadeira com os tradicionais pés palito da estética vintage. Em todo o caso, é fundamental investir em modelos de qualidade e que proporcionem conforto.

Uma boa dica é apostar em projetos de móveis personalizados para adequar o tamanho, o formato e as cores ao estilo desejado. Para complementar, procure inserir eletrodomésticos pretos, brancos, com acabamento em aço inox ou aço escovado — nada de cores chamativas ou vibrantes.

Trabalhe com texturas

Por ser básica e discreta, a decoração escandinava pede muita textura para tornar as superfícies aconchegantes e agradáveis ao toque. A melhor forma de fazer isso é abusar de tecidos com diferentes tramas e fibras, principalmente as naturais — lã, linho e algodão, por exemplo.

Até os couros e peles, que podem ser substituídos por versões sintéticas, ganham lugar de destaque nesse tipo de composição. Assim como as paredes, pisos e móveis, as peças com texturas também ficam mais interessante em cores neutras e suaves.

Portanto, não hesite em colocar passadeiras e tapetes felpudos, mantas macias sobre sofás, colchas volumosas sobre camas e capas de almofadas fofinhas. Os tecidos podem ser dispostos de modo mais solto e disperso, dando a impressão de que a casa foi utilizada recentemente.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Capriche nos adornos

Por ter uma pegada minimalista, a temática escandinava não aceita muitas variações de objetos, bibelôs e acessórios. Porém, o pouco empregado deve ser de qualidade e muito bem pensado. Entre os itens mais utilizados estão as peças de cerâmica e de vidro (como jarros, louças e esculturas).

Também é comum a presença de jogos de quadros, seja compondo painéis na parede, seja na forma de fileiras apoiadas sobre o piso. O conteúdo das molduras costuma ser simples, com frases curtas, símbolos em preto e branco ou figuras abstratas.

Você também tem a opção de transformar pertences e utensílios em artigos decorativos. Pode ser um conjunto de livros dispostos em prateleiras, um cinzeiro sobre a mesa de centro ou uma bela fruteira no canto da bancada.

No design escandinavo, poucas peças devem apresentar cores mais alegres. Se possível, priorize os tons pastel para criar pontos focais. Vale incluir uma luminária verde-limão, uma dupla de almofadas em rosa-queimado ou um aparador amarelo para quebrar a monotonia sem causar poluição visual.

Inclua plantas

O estilo escandinavo também faz alusão às paisagens naturais dos países nórdicos, se inspirando na beleza das montanhas, dos lagos e das florestas. Por isso, é esperado que as plantas estejam sempre presentes nos ambientes, em diferentes arranjos e combinações.

Para quem sonha com um jardim dentro de casa, essa é uma ótima oportunidade para tirar a ideia do papel. Você pode apostar em mudas de oliveira, enfeites com galhos secos dentro de vasos e até em temperos e especiarias para manter perto da cozinha.

Outra opção para deixar os cômodos sempre verdinhos é distribuir recipientes com cactos e suculentas sobre os tampos de móveis, peitoris de janelas e suportes pendentes. Essas espécies exigem pouca manutenção e são perfeitas para quem está começando na arte da jardinagem.

Gostou de conhecer as principais características e o potencial da decoração escandinava? Agora, basta guardar as dicas para consultar na hora de transformar a sua casa. Aos poucos, poderá obter um espaço mais bonito e aconchegante para curtir ao lado de pessoas queridas.

Ainda está em dúvida sobre qual tema aplicar na residência? Nesse caso, confira mais 6 estilos de decoração e escolha qual combina com você!

Powered by Rock Convert
Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.