06fev

Ingo Maurer

Ingo Maurer

Nome por trás de luminárias que conquistaram o mundo, Ingo Maurer, o multipremiado designer alemão, é também chamado de “Poeta da Luz”. Com o dom de instigar a imaginação e promover diferentes sensações, ele gravou seu nome na história e suas criações atingem o status de obras de arte, com lugar de destaque em museus da contemporaneidade.

Texto Kellyn Boniatti

Poeta da Luz – Designer Alemão

Conhecido como o “Poeta da Luz”, Ingo Maurer conquistou o posto de um dos mais expressivos lighting designers da história. Nascido em 1932 na Ilha de Reichenau, ao sul da Alemanha, ele estudou tipografia e design gráfico antes de se aprofundar no universo criativo em uma viagem de três anos aos Estados Unidos.

luminária ingo maurer

Em 19 de outubro de 2019, dois dias antes do falecimento de Ingo Maurer, o Residenz Theater de Munique apresentou ao público a instalação Silver Cloud, assinada pelo artista. A obra contrasta sua leveza e movimento com a imponência do teto vermelho. Foto: Piotr Ratajski / Divulgação

Em solo americano, o jovem teve seu primeiro contato com o segmento, desenvolvendo projetos independentes para empresas internacionais entre Nova York e São Francisco. Estimulado pelas descobertas e de volta à terra natal, em 1966 desenhou seu primeiro item de iluminação, já à frente do recém-inaugurado estúdio Design M, hoje conhecido como Ingo Maurer GmbH. Batizada de Bulb, a peça que consistia em uma lâmpada dentro de uma lâmpada marcou sua estreia no segmento, sendo a primogênita de uma série de luminárias que, posteriormente, conquistariam o mundo.

luminária golden ribbon ingo maurer

Criada e m 1994, a luminária Golden Ribbon parece flutuar no ambiente. A peça sugere movimento e modernidade através de sua estrutura dourada. Foto: Piotr Ratajski / Divulgação

A luminária de mesa com baixa voltagem foi projetada para disseminar uma luz fraca, ideal para um ambiente intimista. Simples, porém inovadora, a peça caiu nas graças do público e conquistou lugar de destaque também no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), onde ainda hoje pode ser admirada junto a outras criações do multipremiado designer. No Brasil, o acervo completo de suas obras está no Estúdio Brasil Ingo Maurer, inaugurado em 2016 junto à FAS Iluminação, em São Paulo (SP). Além da icônica Bulb, por lá é possível admirar a beleza irretocável de outras tantas lumi – nárias, como as MaMoNouchies, produzi – das em papel de arroz plissado em uma collab com o estilista japonês Issey Miyake, ou mesmo os spots da linha Ya Ya Ho.

ingo maurer

Luminária Pendente Comic Explosion (2010). Foto: Piotr Ratajski / Divulgação

Suas luminárias instigam a imaginação e são capazes de despertar diferentes emoções a partir de um simples facho de luz. Conforme ele falou ao New York Times, “as pessoas subestimam o poder da iluminação e o que ela pode fazer”, em referência às diferentes sensações que os tipos de luz podem causar no indivíduo, podendo deixá-lo mais relaxado ou mesmo sugerir certa tensão ou cansaço. As criações excêntricas do alemão beiram a arte, por isso a fama de poeta não poderia lhe caber melhor.

ingo maurer foto divulgação

Com um senso de criatividade fora do comum, Ingo Maurer rompeu barreiras ao trazer seu olhar irreverente e provocativo para peças de iluminação que beiram a arte. Foto: Artcurial/Divulgação

No decorrer da carreira, assinou centenas de peças, das mais delicadas àquelas que revelam contemporaneidade ao extremo, com estruturas aparentes e materiais modernos, destacando também seu viés tecnológico. A paixão pela luz, conforme ele contou na entrevista ao jornal nova-iorquino, surgiu ainda na infância, nos passeios que realizava com o pai a um lago na fronteira entre Alemanha, Áustria e Suíça. Lá, ainda pequeno observava o reflexo da luz sobre a água, o que acabou se traduzindo em suas criações, décadas mais tarde.

Premiado mundo afora, Maurer foi nomeado em 2005 Designer Industrial Real pela Real Sociedade das Artes de Londres e Doutor Honoris Causa pelo Real Colégio das Artes na capital inglesa. Entre as criações mais emblemáticas estão ainda peças como a Zettel’z 5, de 1997, em aço e vidro com pegadores para papel japonês que difundem a luz; o belíssimo Birdie´s Ring, de 2013, composto por 12 lâmpadas envoltas por penas que simulam o voo de pássaros; a Flatterby, uma luminária pen – dente de edição limitada – são apenas 200 unidades disponíveis –, cercada por 10 borboletas feitas à mão; além da irreverente Porca Miséria, concebida em 1994 entre talheres e pedaços de pratos e bules brancos que geram a sensação de que a cena foi paralisada no exato momento em que as louças foram jogadas ao alto. O designer alemão faleceu em 21 de outubro de 2019, aos 87 anos, porém deixa seu nome eternizado no cenário criativo a partir de criações que inegavelmente podem ser consideradas obras de arte da contemporaneidade.

Agora que você já conhece mais sobre o Ingo Maurer, esse ícone do design, que tal conhecer a nossa revista, a Finger Magazin, com mais dicas de decoração e arquitetura? Aproveite!

Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.