28jun

5 diferenças entre luz quente e luz fria e como usá-las na decoração

5 diferenças entre luz quente e luz fria e como usá-las na decoração

Você tem ideia do quanto a iluminação pode ser determinante para construir ambientes incríveis para seu lar? Um dos pontos que você deve ficar atento é o tipo de iluminação: é melhor usar luz quente ou luz fria?

Ela pode impactar diversas questões na composição de um local mais confortável, bem como realçar o seu cômodo. Para isso, é importante que você saiba quais as principais diferenças entre elas e identifique quando utilizá-las, a fim de criar um clima perfeito em sua casa. Quer saber mais? Continue lendo e aproveite para tirar suas dúvidas sobre o tema.

O que é a luz quente?

  • A luz quente é aquela que tem menor índice de graus Kelvin. Sim, são grandezas inversamente proporcionais neste caso. Assim, estão entre elas aquelas que promovem relaxamento;
  • sensações convidativas para descanso;
  • ambiente aconchegante;
  • sensação de paz.

luz quente

O que é a luz fria?

Ao mesmo tempo, a luz fria é aquela que tem maior índice de graus Kelvin. Estão entre elas os tons que mais se aproximam do branco e azulado. Algumas das sensações que eles provocam são:

  • excitação;
  • atenção;
  • foco.
luz fria living home theater

Projeto: Danieli Bonatto Interiores – Execução: Atrativa Finger Concórdia – Fotos: Julinho Gomes Filho

Quais as 5 diferenças entre luz quente e luz fria?

Como você pôde perceber, essas diferenças não dizem respeito à temperatura da lâmpada em si (ou seja, não diz respeito ao consumo energético).

Afinal, quais são as diferenças práticas entre elas? Confira a seguir os 5 principais pontos a serem analisados sobre esse assunto.

1. Tonalidade

Como você viu, uma das principais diferenças entre luz quente e luz fria diz respeito à tonalidade das duas iluminações. Assim, temos como diferenças:

  • a luz quente está relacionada aos tons mais próximos dos amarelados e avermelhados;
  • a luz fria está relacionada aos tons mais próximos do azul e do branco.

2. Benefícios

Fato é: não há uma temperatura de iluminação que seja melhor que a outra. Por isso, é importante você identificar quando cada uma delas traz benefícios. Veja a seguir os relacionados com luz quente:

  • traz uma sensação de sofisticação;
  • cria um clima aconchegante;
  • proporciona um clima de relaxamento;
  • pode evidenciar os tons de decorações com tons quentes.
dormitorio com iluminação

Projeto: Arq Sign – Execução: Finger Piedade – Foto: Adriano Rodrigo

Já a iluminação mais fria tem os seguintes benefícios:

  • minimiza problemas com atenção e sonolência;
  • evidencia detalhes do ambiente;
  • passa um ar mais moderno e tecnológico;
  • evidencia contrastes no ambiente.

Execução: Atrativa Finger de Concórdia. Foto: Gomes Fotos e Vídeo

3. Ambientes mais confortáveis para cada uma delas

Cada ambiente gera uma demanda diferente de iluminação e, por isso, é importante você compreender de que forma elas se enquadram para cada situação. Assim, as melhores indicações para luz quente são:

  • quartos;
  • sala de jantar;
  • ambientes para socialização (como quarto de TV);
  • locais de lazer (por exemplo, área com hidromassagem no banheiro).

Assim, a ideia é passar uma sensação de acolhimento e aconchego, permitindo que as pessoas passem um maior tempo no local, sem ficarem incomodados. Assim, é possível garantir uma relação mais tranquila com o local.

Em contrapartida, para luz fria, elas são mais indicadas para os seguintes ambientes:

  • cozinha;
  • banheiros;
  • áreas de serviço;
  • escritórios;
  • ambientes nos quais você vá gravar algum conteúdo ou passar por reuniões.

cozinha contemporanea branca e marmore de luxo

Ou seja, são locais nos quais exige-se que você esteja mais disposto e atento, bem como devam ter uma iluminação mais clara, para identificar pontos que devam ser higienizados (como banheiros e cozinhas).

4. Tipos de intensidade

Em questão de intensidade, a luz branca é muito mais forte, principalmente para nossa percepção, do que as identificadas como quentes. Por isso, ela é mais indicada quando há necessidade de maior visibilidade e atenção, ou quando as pessoas não ficarão muito tempo no ambiente (ou pode gerar profundo desconforto, caso não tenha um contraponto com iluminação quente).

Projeto: Azevedo Interiores – Execução: Finger Canoas – Fotografia de Gabriel Konrath

A luz quente é mais confortável e mais atenuada para nossa visão e, por isso, cria um clima aconchegante e confortável para quem está ali. Contudo, usado de forma inadequada, pode provocar sonolência, por exemplo. Assim, utilizá-la sozinha em um escritório pode ser contraproducente.

5. Eficiência energética

Segundo especialistas, não há diferenças no que diz respeito à eficiência energética no uso de iluminação quente ou fria. Isso dependerá muito mais do modelo de lâmpada em si do que do tom.

Por exemplo, se o tom quente for produzido com lâmpada incandescente, ela terá maior gasto energético, em comparação com os modelos fluorescentes e LED com luz fria. Contudo, ao compararmos o gasto de duas lâmpadas de LED, que promovam iluminação quente e fria, vemos que são equiparáveis.

Como elas interferem na decoração de ambientes?

Pense quando você vai em uma loja de tecnologia: como você fica? Agitado? Eufórico? Quer resolver as questões quanto antes? Isso ocorre, principalmente, porque esses ambientes utilizam luz branca, o que deixa você mais motivado.

Ao mesmo tempo, você já deve ter reparado que a atmosfera de locais intimistas é feita a luz de velas — que reflete tons quentes. Isso ocorre porque, afinal, estamos falando de locais mais aconchegantes, cujo objetivo é fazer com que a pessoa fique o máximo de tempo possível no local.

quarto de casal planejado com porta de correr

Projeto: Márcia Lima Interiores – Execução: Finger Passo Fundo – Fotos: Otávio Assis

Jogos e planos de iluminação podem ser utilizados para minimizar defeitos e realçar pontos que você quer dar um maior destaque. Pode-se, até mesmo, utilizar ambas as iluminações para compor o seu ambiente. Quer ver um exemplo?

Imagine que seu banheiro utilize iluminação fria como principal, mas você tenha uma banheira de hidromassagem no local. Pode-se aplicar, por exemplo, fitas de led com iluminação quente e uma meia luz para criar uma atmosfera mais aconchegante e, assim, proporcionar um banho relaxante e intimista, tal como você e as demais pessoas que moram na casa merecem.

Quer outras dicas bacanas que podem auxiliá-lo no que diz respeito a essa combinação de luzes? Confira a seguir.

  • na cozinha, coloque um foco com luz amarela na bancada em que faz os preparativos da comida. Isso gera uma atmosfera aconchegante e que pode auxiliar a tornar o preparo no dia a dia mais tranquilo e gostoso;
  • crie jogos de luz e sombra com luzes quentes e frias, permitindo direcionar o olhar para alguns pontos que você deseja que tenham maior atenção. Por exemplo, se a sua sala de estar utiliza iluminação quente, você pode aplicar um abajur que dê maior destaque para algum ponto específico da sua sala;
  • a combinação permite que você possa acentuar as cores da sua decoração. Por exemplo, se quer dar um maior destaque para um item de decoração azul, uma luz branca (tom frio) pode gerar um maior destaque e valorização da peça.
cozinha com porta de vidro e iluminação luz fria

Projeto: Danieli Bonatto Interiores – Execução: Atrativa Finger Concórdia – Fotos: Julinho Gomes Filho

Com essas dicas e sabendo as diferenças entre luz quente e luz fria, você consegue pensar em projetos de iluminação combinando as duas temperaturas para gerar um clima mais interessante, de acordo com o uso esperado para os cômodos. Interessante, não é mesmo?

A luz quente é uma aliada importante para criar um quarto aconchegante, como você viu neste artigo. Confira outras dicas neste artigo, que podem ser importantes e ajudá-lo a criar este ambiente.

solicite orcamento moveis planejados personalizados

Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.