31jan

Verão a todo vapor: como escolher um ar-condicionado e fugir do calor?

Verão a todo vapor: como escolher um ar-condicionado e fugir do calor?

A climatização é um aspecto importante em qualquer projeto de interiores e tem como objetivo tornar os ambientes agradáveis aos usuários. Por envolver a adequação da temperatura e das condições de umidade, esse trabalho demanda conhecimento sobre como escolher um ar-condicionado.

O aparelho ideal deve ser capaz de manter a casa confortável em qualquer estação do ano. Isso é ainda mais relevante no verão, quando os indicadores dos termômetros sobem em várias regiões do país. Mas será que você conhece os principais fatores a considerar antes da compra?

Para ajudar nessa tarefa de análise, listamos alguns passos que precisam ser cumpridos. Use todos como orientação para decidir e evitar arrependimentos.

Tire as medidas do ambiente

Cada residência tem características específicas, assim como seus cômodos. Isso significa que todo espaço demanda um tipo exclusivo de ar-condicionado. Dependendo das dimensões e outros detalhes, será necessária uma menor ou maior capacidade de refrigeração.

reforma ar condicionado

Para determinar o aparelho ideal, você precisa conhecer as medidas do recinto. Só assim será possível fazer o cálculo de carga térmica adequado, de modo que a refrigeração seja eficaz e não gere consumo excessivo de energia — o que promove conforto sem acarretar gasto extra na conta de luz.

Então, sempre comece medindo o local. Não importa se é um pequeno quarto infantil, uma cozinha estreita ou uma sala ampla. Lembre-se de que é a Unidade Térmica Britânica (BTU) que costuma ser usada no dimensionamento e tem como ponto de partida o tamanho do ambiente.

Observe as condições gerais da área

Após levantar as medidas do espaço de instalação, você também precisa verificar outros detalhes relevantes. Quantidade de janelas e portas, número de aparelhos que aquecem o entorno, fluxo de pessoas e condições de luz natural (calor do sol) são pontos que interferem na capacidade de refrigeração do aparelho.

Faça uma análise cuidadosa, anotando o máximo de informações relacionadas ao cômodo. Tenha em mente que, quanto maior for o local e mais elementos estiverem presentes nele — isso inclui pessoas e equipamentos —, maior será a potência necessária para que o ar-condicionado cumpra sua função.

Um olhar atento ajuda a evitar erros. Áreas que recebem muito sol ao longo do dia, por exemplo, esquentam com mais facilidade. Já um escritório ou sala com diversos dispositivos eletrônicos (como TV, computador e modem) tende a apresentar temperatura mais alta por conta do consumo energético constante.

Com a metragem e demais fatores em mãos, é possível dimensionar de forma correta. Geralmente, a carga média de um cômodo fica próxima de 600 BTUs/h por metro quadrado se considerada a presença de dois usuários. Assim, para cada pessoa a mais ou item que irradia calor, são adicionados 600 BTUS/h à conta.

Identifique necessidades específicas

Cada pessoa, família ou empresa tem seus próprios objetivos ao planejar um ambiente. Isso também ocorre no momento de trabalhar a climatização das áreas de permanência, sejam cômodos residenciais, sejam salas comerciais ou corporativas.

bem estar em casa familia reunida ar condicionado

Então, além de buscar orientação sobre como escolher um ar-condicionado, reflita sobre os diferenciais que podem gerar mais satisfação com o projeto. Entre eles, vale destacar:

  • praticidade — já existem aparelhos inteligentes, equipados com Wi-Fi para que o usuário controle todas as funções de forma remota, via dispositivo móvel. Essa tecnologia agregada permite comandos rápidos, tornando a rotina mais prática;
  • conforto o ano todo — pessoas que fazem questão de passar todas as estações do ano com conforto devem investir em sistemas com ar quente e frio. Equipamentos desse tipo aquecem a casa no inverno e refrescam no verão;
  • ausência de quebra-quebra — aparelhos modernos proporcionam instalação limpa e sem grandes alterações na fachada. O ideal é evitar o antigo modelo “de janela”, pois traz unidade interna e externa em um único gabinete (ficando pendurado para fora).

Pense na superfície de instalação

Você já deve ter percebido que o tamanho e o formato dos aparelhos variam bastante. Isso acontece para que o ar-condicionado se adapte perfeitamente ao local onde será colocado, além de garantir que o funcionamento seja efetivo nas condições existentes.

Mas, afinal, qual é o modelo adequado para cada situação? Abaixo, mostramos os principais tipos de equipamentos e a recomendação conforme a superfície disponível para instalar:

  • split hi wall — desenvolvido para permanecer em estruturas verticais (seja uma parede em destaque ou uma divisória simples);
  • split piso-teto — como o nome indica, serve para superfícies de forros ou pode ficar apoiado sobre o chão do cômodo;
  • split cassete — esse modelo é fixado bem no centro do teto;
  • portátil — é um aparelho que pode ser levado para qualquer lugar. Costuma ser usado de maneira provisória, enquanto o projeto de climatização não puder ser executado.

Residências com muitos ambientes podem precisar de uma solução parecida com aquela adotada em espaços comerciais. Nesses lugares, o ar-condicionado multi-split representa uma boa escolha por permitir o uso de até 6 evaporadoras com apenas um condensador.

Isso significa a possibilidade de climatizar diversos cômodos simultaneamente, a partir de uma única unidade externa. Assim, os BTUs são divididos entre as unidades internas (evaporadoras) de modo personalizado para que cada uma desempenhe sua função.

Avalie o custo-benefício

Os benefícios de curto e longo prazo também devem ser colocados no papel. Tenha em mente que o aparelho ficará em sua casa ou local de trabalho por bastante tempo. Logo, deve combinar vantagens que compensem o investimento realizado.

Um ar-condicionado de qualidade pode até ser mais caro, mas você não vai se importar com a diferença de preço se perceber vários pontos positivos. Bons modelos são silenciosos, discretos e de fácil instalação. Também colaboram para a economia de energia, tornando a casa mais sustentável.

A dica para garantir um consumo baixo é sempre verificar o Selo Procel destacado no aparelho. As certificações marcadas com letras A e B são as melhores porque indicam menor demanda energética. Cabe destacar que isso não prejudica em nada o desempenho do ar-condicionado.

Equipamentos chamados inverter também são ótimas opções para quem visa redução de gastos na conta de luz. Eles têm um sistema diferenciado que atinge a temperatura desejada rapidamente, além de mantê-la constante para evitar oscilações ou picos de energia.

Cuidados na compra e no recebimento do produto

Com os passos destacados, você já terá condições de encontrar o melhor aparelho para suas necessidades. Tenha atenção, porém, de selecionar a voltagem correta no ato da compra para não danificar seu produto no primeiro uso. A maioria é 220v, portanto, é preciso ter tomada adequada.

Também leia as recomendações do fabricante contidas no manual, a fim de promover a instalação correta e aproveitar a garantia, caso necessário. Esse documento traz, ainda, orientações importantes sobre a frequência de manutenção, procedimentos para limpeza e outros itens.

Gostou de aprender como escolher um ar-condicionado? Saiba que existem opções com acabamentos diversos para agradar a todos os gostos. Do branco ao espelhado, dá para abusar da criatividade e compor uma decoração de verão que inclua esse importante aparelho.

Agora, se você ficou com alguma dúvida ou tem algo a acrescentar sobre o assunto, comente!

Olá, tudo bem? Gostaria de informações sobre a Finger.